Quarteto

20140812-164956.jpg

Floresço sempre que nossas vozes se cruzam
Sorrio quando uma de vós sorri
Derreto minha alma quando nos abraçamos
Quando corremos sem jeito ao deambular
Quando encolhemos nossos ombros de cansaço
Quando nosso humor desalinhado se transforma em beleza
Quando investimos na nossa protecção
Quando tu me olhas com orgulho
E tu, quando me interrogas sobre pecados da maça mordida
E tu, quando me abraças com carinho
Quando tudo temos e tudo perdemos
Neste campo não floreado da vida!