Tua confiança

20140731-002400.jpg

Se eu pudesse ter-te aqui, mesmo aqui
Meu olhar permanecia nos teus olhos
Acariciava tua face límpida e morena
Mordia as tuas mãos presas nas minhas
Gentilmente, até me sentires
Sentes?
Posso-te agarrar, agora?
Estás comigo, onde nunca imaginei estar
Ficamos perdidos na nossa incontestável beleza
Corremos juntos de mãos dadas
Nossos corpos flutuam de inocência
Exibem sorrisos e harmonia
Posso-te matar, agora
Teu corpo perturbado foge de mim
Começas a correr ainda mais, cavalgando no espaço
Vou ao teu alcance
Foges-me ainda mais
Teu corpo vejo a desaparecer
Cada película da tua pele cai
Cheiro-a, é a minha confidente!
Fecho minhas pálpebras desnutridas
Não tenho magia, nada possuo em mim
Queres-me matar? Por quanto tempo?
Se eu pudesse ter-te aqui, mesmo aqui
Matava-te!

Janela aberta

20140712-120018.jpg

Arrasto meu corpo cansado de outrora
Abro esta grandiosa janela de vidro
Pesada de histórias e dizeres
Ilimito o ar do meu respirar
Está quente,
O sol quente do meio-dia!
Sorrio, por saber que tinha saudades
Volto a sorrir por saber que quero voltar
Mais vezes, por longo tempo
Eternizar esta janela aberta
Deixar entrar todas as borboletas
E voar,
Voar sem limite de sonhos
Porque só a sorrir posso viver
E só sorrio se sonhar!